Cuidados pediátricos e o desenvolvimento do bebê

bebê

A chegada de um bebê à família gera muitas dúvidas nos papais e nas mamães que, geralmente, procuram informações junto a médicos pediatras, sobre os mais variados assuntos.

Podem ser perguntas simples como a queda do cabelo e o crescimento das unhas, natural do ser humano ou mais sérias e específicas, que podem afetar a saúde da criança.

Por isso, é preciso ter um médico de confiança, que possa acompanhar o crescimento do bebê com o passar dos anos, dentro das possibilidades e disponibilidade de profissionais.

Tanto a rede pública de saúde quanto a rede privada podem ser acionadas para verificar dados como:

  • Altura;
  • Peso;
  • Mobilidade;
  • Cinco sentidos.

A complementação com vacinas e alimentação saudável devem ser responsabilidade dos pais, mães e responsáveis.

Ainda assim, em alguns momentos, especialistas deverão ser consultados para que possam identificar algum problema e buscar a solução mais adequada.

Visão infantil pode ser corrigida prematuramente

Quanto mais cedo detectar algum problema no corpo de um bebê, maiores as chances de que possa ser sanado, com interferências distintas e pontuais.

A audição, o tato e a visão são os mais fáceis de se perceber, pois há exames específicos que ajudam na detecção precoce.

O olfato e o paladar são muito particulares e podem ser comunicados apenas com a possibilidade de comunicação avançada. Ainda assim, os profissionais e responsáveis devem ficar atentos quanto à alimentação e realizar testes de alergia de maneira preventiva.

A visão é um dos sentidos mais importantes para um indivíduo e por isso mesmo, caso seja percebido algum problema nos olhos de uma criança, ela deve ser encaminhada para uma clínica de oftalmologia pediátrica para detectar o que acontece.

O atendimento especializado pode identificar diferentes problemas nos olhos de uma criança, como hipermetropia, estrabismo ou astigmatismo.

O profissional que realiza os exames deve identificar se há qualquer aspecto relacionado a má formação da íris e do globo ocular.

A saúde visual é importante para que a criança possa reconhecer o espaço em que convive, os familiares, provocando o fortalecimento de laços afetivos.

Estando tudo de acordo com a normalidade, a criança se desenvolve normalmente, com segurança para se movimentar e ter reflexos ao longo da vida.

Caso o médico oftalmologista pediátrico identifique algum problema, será necessário verificar quais as possibilidades de tratamento, para que a criança tenha um desenvolvimento apropriado. Algumas situações serão percebidas de maneira tardia, como a chegada à escola.

Se os pais perceberem que a criança tem dificuldades na alfabetização, pode ser que seja necessário o uso de óculos corretivos. Nada fora do normal, mas evitará dores de cabeça e facilitar o aprendizado.

Problema estomacal requer tratamento especial

O corpo humano passa por diversas transformações ao longo do tempo, desde o nascimento. Algumas crianças precisam utilizar uma bolsa de colostomia infantil por causa de problemas estomacais.

A ostomia é a comunicação das partes internas por meio de uma cirurgia em que essa bolsa fica no lado externo e precisa de tratamento adequado.

O mercado de equipamentos médicos oferece diferentes modelos de bolsa, e as crianças precisam ser protegidas de forma intensificada, até mesmo por causa da fragilidade da própria idade e inexperiência de vida.

Por isso, a bolsa colostomia infantil deve estar de acordo com a evolução e o crescimento da criança. Isso está relacionado à produção de fezes e urina que é coletada sistematicamente, e os cuidados tomados para evitar qualquer apuro que possa constranger o usuário.

Saúde materna também deve ser acompanhada

A vida de um bebê está estritamente relacionada à saúde da mamãe, desde a gestação até a amamentação e as preocupações do dia a dia.

Por isso, ela também precisa se preocupar em manter um acompanhamento médico para saber o que pode e o que não pode ser feito.

A autoestima pode ser afetada a princípio, mas com a aprovação de um médico obstetra ou ginecologista, até mesmo passar argila verde no cabelo pode ser liberado.

Esse tipo de tratamento, especificamente, serve para estimular a circulação sanguínea do couro cabeludo, além de servir como um produto que equilibra o pH da pele dessa região, ajudando na hidratação, relaxamento e rejuvenescimento.

Como a maternidade altera os hormônios de uma mulher, é comum elas se preocuparem com a própria aparência em algum momento.

Muitos produtos devem ser evitados durante a gravidez e a amamentação, mas o uso de argilas no cabelo está liberado porque é rico em elementos minerais provenientes do solo, ou seja, da própria natureza.

De todas as formas, é preciso que um profissional seja consultado em casos de dúvidas, para que a saúde da mamãe não seja prejudicada, muito menos do bebê, em qualquer circunstância.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *