Descubra a importância de visitar regularmente um oftalmologista

oftalmologista

Os casos de miopia estão crescendo no Brasil, segundo estimativa da Organização Mundial da Saúde, entre 2020 e 2050 a alta miopia cresce 89% no Brasil e 49% no restante do mundo. A pandemia de coronavírus pode estar fazendo o Brasil superar esta estimativa.

Por isso a necessidade de uma maior atenção com os olhos, assim como uma prótese dentária,  precisa ser resistente e estável, a nossa visão que está em pleno funcionamento precisa estar saudável para enfrentar a rotina diária.    

Mas como funciona a visão? 

Com a correria do dia a dia, dificilmente prestamos atenção na principal ferramenta que nos permite ver tudo que acontece ao nosso redor, e essa ferramenta é a visão.

O olho humano consegue enxergar de forma perfeita, a sua estrutura pode ser comparada limitadamente a de uma câmera.

Como por exemplo, a pupila do olho humano pode ser comparada ao diafragma de uma câmera fotográfica, por regular a entrada de luminosidade. Em lugares mais claros, por exemplo, ela se fecha, evitando uma quantidade de luz exagerada. Já no escuro ela se dilata, ampliando até trinta vezes a quantidade de luz que chega à vista.

O olho humano é uma ferramenta incrível, que merece total atenção para o seu pleno funcionamento saudável. 

Doenças ligadas a perda da visão     

São vários os tipos de doenças ligadas à visão, a principal delas é a cegueira, que pode ser irreversível ou reversível dependendo da situação do problema ocular.

Portanto, os cuidados com os olhos devem ser contínuos, principalmente quando se fala na exposição à luz solar e nos cuidados diários. 

As doenças oculares irreversíveis mais comuns são: o glaucoma, retinopatia, ambliopias (também conhecida como olho preguiçoso) e a degeneração macular relacionada à idade.

Já as doenças oculares que possuem reversão são: a catarata, tida como uma dos principais problemas que levam a perda da visão, o descolamento da retina, o tracoma e até mesmo a enxaqueca.

Desafios da catarata 

A catarata gera várias dúvidas referentes ao seu diagnóstico e tratamento. O número de cirurgias para resolver o problema mais do que dobrou durante os últimos dez anos, segundo o Conselho Brasileiro de Oftalmologia. 

No ano passado foram realizadas mais de 601 mil cirurgias de catarata no país, por meio do Sistema Único de Saúde, sendo 302 mil em 2009.   

A doença afeta o cristalino, que seria a lente do olho humano,  podendo até mesmo levar à cegueira total. A doença costuma aparecer após os 60 anos, sendo responsável por 48% dos casos de cegueira congênita no mundo, acometendo principalmente as pessoas mais idosas.  

Alguns sintomas da catarata são a visão nublada, sensibilidade à luz, e visão noturna muito fraca. O diagnóstico deve ser feito por um oftalmologista. 

Na operação de catarata o médico retira o cristalino, opaco e introduz uma lente intraocular que corrige o problema, devolvendo a visão normal para o paciente quando a doença é descoberta ainda no início.

Cirurgias de catarata feitas após um período muito grande de espera, pode diminuir os resultados finais e a melhora e restauração da visão normal pode ficar prejudicada com o tempo. 

Procure um profissional 

Além dos cuidados diários, é de extrema importância visitar um profissional de oftalmologia. Exames de rotina são essenciais para garantir a saúde não só ocular mais de todo o funcionamento do nosso organismo. 

Além do profissional de saúde é extremamente necessário a utilização de óculos de sol. São vários os estilos e preços dos óculos escuros, mas se não houver o bom senso de quem compra, a ferramenta que poderia ajudar a proteger a visão, pode causar sérios problemas, alguns até irreversíveis com o passar dos anos.

Por isso a importância de procurar por óculos com alto fator de proteção (no mínimo 98%) contra raios ultravioletas (UVA e UVB) ou proteção UV 400.

Mas os cuidados não se atém somente nesse aspecto, quem utiliza óculos de grau também precisa manter os cuidados necessários durante o uso.

Seja para descanso ou para correção, a visita a um médico profissional deve ser com uma maior frequência, até mesmo por conta da necessidade de trocar as lentes durante o tratamento, correção extremamente necessária com o passar do tempo.  

É sempre importante salientar, que o oftalmologista não deve ser só procurado em casos extremos, qualquer incômodo que dure mais de dois dias deve ser positivo para marcar uma consulta.

Mas, além disso, não abandonar os cuidados básicos como limpeza diária dos olhos com soro e evitar a exposição aos raios UV, já vão garantir uma boa qualidade de vida ocular no decorrer da vida. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *