Descubra o que fazer no começo da gestação

gestação

O momento da gestação pode ser um susto para as famílias, mas sem dúvidas, é um momento de bastante alegria. Os futuros papais ao descobrirem a gestação seja por meio de um teste de gravidez ou exame de sangue, já devem procurar o profissional de ginecologia e obstetricia que acompanha a mulher antes, durante e após o período gestacional.

O médico ginecologista é especializado na saúde feminina e estuda os órgãos como vagina, útero, ovários, endométrio e tuba uterina.

Ele já está presente desde os problemas na menstruação, acompanhamentos hormonais, inicio da vida sexual, atuação por meio de métodos contraceptivos até o desejo da mamãe de engravidar.

Estando grávida, o médico também será obstetra, ou seja, pensar no parto dessa criança, que pode ser normal ou cesárea. Sobre partos falaremos mais adiante.

O fundamental nesse acompanhamento é seguir as recomendações médicas que variam desde fazer as ultrassonografias no período correto, como:

  • Não fazer movimentos bruscos, pelo menos até os 3 meses;
  • Praticar exercícios físicos sob orientação médica;
  • Não fumar;
  • Não beber;
  • Melhorar a alimentação;
  • Tomar algumas capsulas de vitaminas e fortalecimento do bebê;
  • Evitar o estresse.

Essas são algumas das variadas recomendações médicas a respeito de uma vida mais saudável que a mãe deve ter para evitar problemas como diabetes gestacional, hipertensão, gerando um parto pré-maturo.

Para ter esse acompanhamento mais de perto, a mamãe pode solicitar um médico particular a domicílio, que seja de sua confiança. Isso é importante, principalmente, no final da gestação, onde a mamãe está mais pesada e com alguns inchaços e precisa de maior descanso.

Está gestante? Saiba quando fazer o ultrassom morfológico

Para a futura mamãe, a rotina de ultrassonografias ao menos uma vez por mês se torna bastante comum. Esse procedimento está presente desde a descoberta do bebê até seu nascimento e serve para acompanhar seu crescimento, verificar seu estado de saúde, sexo, formação e anormalidades que possam surgir.

No entanto, a medida que o bebê vai crescendo, começam novos estágios de descobertas e evoluções em sua formação, tanto no aspecto básico como formação da coluna, coração e cérebro, até o crescimento de braços e pernas.

Por isso, os tipos de ultrassom que a gestante faz ao longo da gravidez também se altera. Um deles, sendo um dos mais importantes, é o ultrassom morfológico.

Esse exame é fundamental para detectar se o bebê apresenta alguma doença ou má formação. Ele é importante pois visualiza o bebê mesmo dentro do útero, com muita precisão.

Os médicos ginecologistas e obstetras recomendam que essa ultrassonografia seja realizada a partir do segundo trimestre da gravidez, que pode ser entre 4 a 6 meses (ou 18º a 24º semana da gestação).

Esse exame, além de verificar se está tudo dentro da conformidade na saúde do bebê, contribui para que os pais tenham um primeiro contato mais detalhado sobre o crescimento e desenvolvimento de seu bebê.

A ultrassom é um elemento básico que as mamães devem fazer para acompanhar o crescimento do bebê, além de tomar os cuidados e as devidas precauções que citamos no início desse artigo.

Preparando o quarto do bebê

Um dos maiores desejos dos pais é dar o melhor para o seu filho, inclusive, preparando um ótimo quarto para o seu nascimento.

Isso é possível por meio de um enxoval infantil personalizado que estará no berço, cadeira de amamentação e nos acessórios como cômoda e sofá do quarto.

Existem vários tipos de enxovais 100% algodão, oferecendo um melhor conforto para a pele do bebê que é tão sensível. Para tornar o quarto ainda mais especial, é possível encomendar também almofadas sob encomenda, com personalização do nome do bebê.

Nascimento e aleitamento

O nascimento do bebê, sem dúvidas, é o momento mais esperado de toda a gestação. A ansiedade para conhecer a criança é o motivador da família.

Basicamente, o parto pode ser normal ou cesárea. O mais recomendado é que o parto seja normal pelos benefícios que oferece tanto para a mãe como para o bebê.

O parto normal, apesar de ser dolorido, gera um dor momentânea que depois é compensada pela rápida recuperação da mãe. Além disso, o bebê apresenta melhor facilidade para respirar ao passar pelo canal vaginal.

No entanto, muitas mães apresentam problemas durante a gravidez, falta de encaixe do bebe na pelve, problemas de hipertensão e até mesmo com a dilatação, sendo necessário se submeter ao procedimento da cesárea. Após o parto o aleitamento materno é fundamental pois serve de vacina para o bebê.

O aleitamento materno deve ser feito, de forma exclusiva, pelo menos até os 6 meses pois previne o bebê de doenças, aumenta seu sistema imunológico, aumenta o vínculo da mãe com o bebe, melhora as cólicas e a digestão da criança, dentre vários outros benefícios fundamentais para o seu crescimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *