5 ações para diminuir e prevenir o estresse no ambiente de trabalho

Em 2019, a Organização Mundial de Saúde (OMS) incluiu o estresse no ambiente de trabalho – e uma das suas possíveis consequências, a síndrome de burnout – na Classificação Internacional de Doenças. A adição não foi ocasional. Esse transtorno, de acordo com a Isma-BR, acomete mais de 70% dos brasileiros que trabalham, o que impacta não apenas seu rendimento profissional, mas, principalmente, sua qualidade de vida.

Esses números são suficientes para alertar as empresas sobre a importância de combater o problema. Sabemos que o estresse, moderadamente, é aceito, mas, como vem se apresentando, em níveis preocupantes e sem precedentes, é indispensável analisar e aderir a medidas que o controlem antes que seja tarde. Saiba mais a seguir.

O que causa o estresse no ambiente de trabalho?

No trabalho, a cobrança é inevitável. Geralmente, a rotina inclui relatórios para fazer, reuniões para apresentar e pessoas com quem conviver. Essa soma inevitável tem efeitos diferentes nas pessoas e, ocasionalmente, pode acarretar sequelas, inclusive, em suas vidas pessoais.

Sendo mais específico, os agentes causadores de estresse podem estar relacionados ao conteúdo do trabalho, como atividades monótonas e prazos curtos, ou ao contexto, como salários inadequados, jornadas longas, relacionamento com os colegas e a ausência de um plano de carreira.

Naturalmente, há medidas que o próprio funcionário pode tomar para lidar com o estresse, assim como há a responsabilidade da companhia onde ele trabalha de proporcionar um ambiente agradável, o que lhes exige um planejamento aliado a investimentos.

Quais são os sintomas do estresse no ambiente de trabalho?

Pessoas muito estressadas não demoram a manifestar sintomas do transtorno. Por um lado, isso pode ser positivo, pois pode facilitar o início do tratamento. Infelizmente, nem sempre isso acontece antes de o colaborador ter sua produtividade comprometida ou seu próprio organismo exibir outros problemas de saúde. Conheça alguns sinais do estresse no ambiente organizacional.

Dificuldade para se relacionar

Um funcionário estressado tende a se isolar dos outros colegas. As oscilações de humor levam a conversar menos com as pessoas, evitando contato. A desmotivação e o negativismo também favorecem esse distanciamento.

Baixo rendimento

A falta de concentração, muitas vezes aliada à perda de memória, compromete a produtividade do empregado, fazendo-o se esquecer de compromissos importantes ou prazos de entrega de atividades. Consequentemente, isso leva a penalizações, o que pode vir a comprometer ainda mais a saúde mental do colaborador.

Insatisfação pessoal

Os efeitos do estresse funcionam como um ciclo. O ambiente ou as condições dele levam o funcionário a se estressar cada vez mais, perdendo o controle sobre a situação. Isso leva a diminuir sua produtividade, o que impacta seus resultados e a forma como a gestão analisa o empregado. Por fim, sem saber como lidar com o problema e sem o devido direcionamento, a pessoa se sente frustrada e fracassada.

Como diminuir e prevenir o estresse no ambiente de trabalho?

Considerando o avanço que o problema teve nas últimas décadas, surgiram diversas iniciativas que podem reduzir e prevenir o estresse, facilitando seu diagnóstico precoce. Algumas delas podem ser implementadas pelas empresas a fim de proteger seus colaboradores das doenças do século XXI, bem como mantê-los produtivos e em constante crescimento profissional. Confira-as abaixo.

Ginástica laboral

Os cuidados com o corpo e a mente devem andar lado a lado. Uma forma de as empresas incentivarem a prática de atividades físicas e, portanto, a boa saúde em seus funcionários, é promovendo exercícios de ginástica laboral. Os movimentos são simples e rápidos, podem ser realizados em qualquer ambiente e, ainda, ajudam a aliviar o estresse do dia a dia. Lembre-se: um profissional especializado deve estar à frente da modalidade, seja ela presencial, seja online.

Ergonomia

Amparada pela Norma Regulamentadora 17, a ergonomia também deve ser acompanhada por um profissional da área, que garanta uma análise geral das condições de trabalho e, por fim, defina o que pode ser feito a fim de tornar o ambiente mais confortável para quem o ocupa. Obrigatória por lei, ela ajuda não só a diminuir o absenteísmo, como reduzir o estresse e outras doenças ocupacionais.

Atividade física

Para quem não deseja se limitar aos exercícios de ginástica laboral, a prática in company de outras atividades físicas também são uma excelente maneira de prevenir e combater o estresse. Dentro ou fora do expediente, as empresas podem criar campanhas para identificar os esportes preferidos dos colaboradores — e saber quais deles teriam maior adesão se implementados. Outra prática válida é procurar instituições, como academias e outros serviços, e realizar uma parceria, garantindo um desconto para os funcionários interessados.

Acompanhamento nutricional

Fazer uma atividade física aliado a um acompanhamento nutricional é fundamental para uma saúde de ferro. Para as companhias, isso pode representar empregados mais satisfeitos e comprometidos com seus resultados. Se a organização oferece suas próprias refeições, é indispensável que um nutricionista acompanhe o cardápio e atualize-o regularmente. Se não, a contratação desse profissional para auxiliar os colaboradores a melhorar seus hábitos alimentares também funciona.

Mindfulness

Se o estresse impacta primeiro a saúde mental, as medidas a serem tomadas devem colocá-la como prioridade. A perda de memória, bem como a dificuldade para se concentrar, demonstram a perturbação na mente do indivíduo e sua necessidade de desacelerar. Uma boa alternativa para isso é a técnica do mindfulness.

Trata-se de um tipo de meditação, que leva seus praticantes a focar no momento presente. Idealizada para combater o estresse, a ansiedade e demais doenças crônicas, o mindfulness ajuda a pessoa a focar em emoções positivas, acalmando sua mente e clareando seu raciocínio, melhorando seu desempenho cerebral.

Investir no combate ao estresse e na qualidade de vida no meio organizacional fortalece a marca empregadora de uma empresa e evidencia sua preocupação com o bem-estar de seus colaboradores. Nos últimos anos, a atenção e o cuidado com a saúde física e mental dos empregados tem se tornado algo não apenas importante, mas necessário.

Se o estresse no ambiente de trabalho é uma preocupação para a sua companhia, procure uma empresa especializada na implementação das atividades sugeridas acima, como a BeeCorp, e proporcione uma experiência diferenciada aos seus colaboradores. 

Conteúdo originalmente desenvolvido pela BeeCorp, empresa de bem-estar corporativo que oferece uma gestão completa e integrada da saúde, qualidade de vida e segurança do trabalho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *