O que é bruxismo de vigília? E quais os sintomas?

Tenho certeza que você já ouviu falar de bruxismo, mas e o bruxismo de vigília? Você sabe como acontece? Quais são as suas causas? Ele é muito comum e pode acarretar problemas sérios para a sua saúde. 

Continue lendo este artigo que vamos explorar os tipos, causas e sintomas do bruxismo de vigília

Quais os tipos de bruxismo?

O bruxismo em si, é caracterizado pelo hábito de pressionar e ranger os dentes. Esse fator pode atingir adultos e crianças e há tipos diferentes de bruxismo. 

Por exemplo, no bruxismo do sono – que acontece enquanto a pessoa dorme – os dentes entram em contato de forma forçada, podendo haver barulhos ou não. O bruxismo noturno é um distúrbio que pode ser relacionado ao sono, alterações respiratórias (como apneia), distúrbios neurológicos ou ao uso de medicamentos.

Contudo, ao contrário do que se pensa, o bruxismo não acontece apenas enquanto se dorme. Esse problema pode acontecer no decorrer do dia e é chamado de bruxismo de vigília

Por isso é necessário identificar a diferença, para que o hábito possa ser tratado de forma adequada. 

 

Causas do bruxismo de vigília

O bruxismo de vigília pode passar despercebido, já que a pessoa nem sempre chega a encostar os dentes um no outro, mas sim, tem o hábito de ficar com os músculos faciais tensionados. 

O que mais promove o bruxismo diurno é o estresse ou momentos de concentração, como estudar, trabalhar ou usar o computador. A pessoa não nota que ela está contraindo a musculatura da mastigação. 

O bruxismo de vigília pode decorrer também, devido a tratamentos ligados a ansiedade ou problemas motores como paralisia cerebral e Parkinson. 

Estudos mostram que o bruxismo de vigília pode evoluir e se tornar um hábito independente e inconsciente – sem levar em consideração fatores externos. E assim, o paciente pode contrair a musculatura em qualquer momento e situação por longos períodos de tempo, sem ao menos se dar conta. 

 

Principais sintomas do bruxismo de vigília

Quando ficamos com raiva, o corpo enrijece a mandíbula como um reflexo imediato. Até mesmo em livros ou textos, quando é preciso descrever que o personagem ficou bravo, é descrito como “cerrar os dentes”. 

Essa reação é um padrão do corpo, então se você estiver passando por um momento difícil é possível que o estresse esteja se manifestando através do bruxismo.

Esse hábito pode trazer muitas complicações. Por exemplo:

  • Dores de cabeça: é muito comum devido a contração dos músculos, afetando têmporas, masseter e cervical.
  • Desgaste dentário: por causa da fricção intensa. Pode ocorrer desgaste do esmalte, dor de dente, e até a quebra.
  • Tensão muscular na face, pescoço e ombros: quando mastigamos algo muito duro nossa mandíbula fica dolorida, essa sensação é costumeira para quem sofre de bruxismo diurno. A dor ainda pode se estender para o pescoço e ombros.
  • Zumbido no ouvido: o frequente tensionamento dos dentes, pode interferir nos sinais que são enviados do ouvido para o cérebro, com isso, alguns pacientes podem se queixar de zumbido no ouvido.
  • Sangramento na gengiva: esse sintoma se dá devido ao desgaste dentário e até mesmo à quebra de dentes.
  • Estresse: o bruxismo em si, não deixa o indivíduo estressado, mas talvez seja uma forma de como a pessoa lida com o nervosismo.

 

Quais são os tratamentos para o bruxismo de vigília?

O bruxismo não tem cura total, mas pode ser amenizado e controlado. Tudo depende do grau de gravidade de cada caso. 

O diagnóstico é feito por um dentista especializado em dor orofacial, porém para o tratamento pode ser necessário um conjunto de outras especialidades, como médicos e psicólogos. 

O dentista especializado é responsável por avaliar e acompanhar as causas do bruxismo, e assim, definir o melhor tratamento para resolver a raiz do problema. 

Para o bruxismo do sono é indicado o uso de placas estabilizadoras, higiene do sono e terapias físicas. 

Para o Bruxismo de vigília os tratamentos podem ser diversos, como:

  • Placas de acrílico: que contribuem para uma mastigação adequada; 
  • Exercícios físicos: que reduz o estresse, aumentando a qualidade de vida e por fim, diminuindo o quadro de bruxismo;
  • Acupuntura;
  • Terapias como ioga; 
  • Medicamentos: como relaxantes musculares para aliviar o tensionamento na região das mandíbulas (prescritos por um médico).

OBS: É fundamental a procura de um especialista, pois o remédio só camufla o problema, ou até mesmo agrava a situação. Já o profissional pode ajudar a reverter o quadro.

Tratamento LIVA para o bruxismo de vigília 

LIVA é um tratamento especializado em bruxismo de vigília. Vários exames – como eletromiografia – são realizados para descobrir qual o tipo de bruxismo que o paciente possui. Depois de diagnosticado, o tratamento pode ser feito no mesmo lugar. 

O LIVA possui um dispositivo próprio chamado DIVA®, criado pelo Dr. Alain Haggiag.

O DIVA® é para ser usado durante o dia e é inserido entre os quatros últimos dentes.

Esse aparelho inteligente tem autorregulamentação e biofeedback ativo, monitorando em tempo real o “apertamento” dos dentes. Dessa forma o cérebro entende que não pode executar o movimento de bruxismo, reeducando o hábito de tensionar a musculatura da face. 

 

Conclusão 

O bruxismo pode acontecer tanto de dia, quanto de noite. Como visto anteriormente, vários sintomas podem vir à tona por causa desse hábito. 

Porém os problemas que derivam do bruxismo devem ser analisados por um profissional de dor orofacial. Para identificar a real raiz dos problemas, pois podem ser questões emocionais ou reação excessiva a situações de estresse. 

Se você se identificou com esses quadros que foram citados aqui, procure a ajuda de um profissional especializado na área. 

Realize o quiz e entenda qual o tratamento adequado para o seu caso.

 

“Texto Escrito por Renata Heining, Redatora da agência Lamattina Marketing Digital”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *