Ovário policístico: O que é, quais são os sintomas e a forma de tratamento

A síndrome dos ovários policísticos é uma condição comum que pode ocorrer em mulheres de qualquer idade, embora seja mais comum no início da adolescência. 

Essa condição é caracterizada por alterações nos níveis de hormônios circulantes no sangue.

Isto favorece a formação de diversos cistos no ovário, levando ao aparecimento de sintomas como menstruação irregular e dificuldades para engravidar, por exemplo.

Além disso, é possível que outros sintomas relacionados ao aumento dos níveis de hormônios, principalmente a testosterona, possam ocorrer, como acne e aparecimento de pelos faciais e corporais.

O diagnóstico é feito pelo ginecologista com base na análise dos sintomas apresentados pela mulher e nos resultados dos exames solicitados, sendo então possível iniciar o tratamento adequado, que é feito com medicamentos que visam aliviar os sintomas e regular o hormônio dos níveis.

Para você que está lendo este artigo sobre Cisto na mama: Ovário policístico: O que é, quais são os sintomas e a forma de tratamento. Talvez você queira aprender como emagrecer com o Desobesi, saiba como funciona.

8 Sintomas de ovários policísticos

Os sinais e sintomas do ovário policístico podem variar entre as mulheres e com as alterações hormonais, mas em geral os sintomas do ovário policístico são:

  • Menstruação desregulada ou ausência de menstruação;
  • Queda de cabelo;
  • Dificuldade para engravidar;
  • Aparência de pelos faciais e corporais;
  • Pele oleosa;
  • Pele acneica;
  • Ganho de peso facilmente;
  • Atraso no desenvolvimento mamário.

Se você perceber o surgimento de alguns destes sintomas, busque uma ajuda médica.

É importante consultar o ginecologista para uma avaliação e diagnóstico mais preciso, pois eles irão pedir exames para investigar a possibilidade de cistos nos ovários.

Outro bom remédio é a sibutramina, que também pode te ajudar a emagrecer rapidamente, caso você queira comprar sibutramina, é só acessar o link.

Causas de ovário policístico

A SOP não tem causa bem definida, mas acredita-se que se beneficie da interação de vários fatores, como genética, metabolismo, resistência à insulina, alimentação inadequada e falta de atividade física. 

Além disso, a obesidade e o pré-diabetes também podem favorecer a SOP, pois essas situações levam a alterações hormonais, incluindo o aumento dos níveis de testosterona, que é o principal hormônio relacionado ao aparecimento de cistos.

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico de ovário policístico é feito pelo ginecologista de acordo com a avaliação dos sinais e sintomas apresentados pela mulher e os resultados dos exames solicitados. 

O principal exame indicado é a ultrassonografia para verificar o tamanho dos ovários e a presença de cistos.

Além disso, exames de sangue podem ser recomendados para avaliar a quantidade de hormônios circulantes na corrente sanguínea, como LH, FSH, prolactina, T3, T4 e testosterona, que normalmente estão elevados na síndrome dos ovários policísticos.

Como é o tratamento?

O tratamento da síndrome dos ovários policísticos deve ser feito de acordo com a recomendação do médico, podendo ser indicados medicamentos para aliviar os sintomas, como anticoncepcionais ou flutamida, ou o uso de medicamentos para promover a gravidez, como o clomifeno.

Nos casos mais graves, quando há muitos cistos, aumentando o tamanho do ovário, pode ser recomendada a cirurgia para remoção dos cistos ou do ovário. 

Além disso, é importante que as mulheres sigam uma alimentação adequada, ou seja, que não favoreça as alterações hormonais e que promova sua saúde e bem-estar.

As pessoas com ovários policísticos sempre têm períodos irregulares?

Não. Embora a menstruação irregular seja um dos principais sintomas dessa doença, mais da metade das mulheres que apresentam esse problema não apresentam sintomas, e a alteração nos ovários só é descoberta durante uma consulta de rotina ao ginecologista.

É possível engravidar mesmo com ovários policísticos?

Sim, porque, em geral, as mulheres com esse problema respondem bem aos medicamentos que induzem a ovulação, como o Clomifeno. 

Além disso, mesmo que a menstruação seja irregular, em poucos meses uma mulher pode ovular espontaneamente e ser capaz de conceber sem ajuda médica.

No entanto, é recomendado procurar atendimento médico para aumentar as chances de gravidez, principalmente após 1 ano de tentativas frustradas de engravidar. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *