Vegetarianismo e veganismo vão além de hábitos alimentares

É um fato que o vegetarianismo ou veganismo já foi visto como um hábito exclusivamente alimentar de quem desejava investir em comidas saudáveis ou não podia consumir carne (e derivados de animais).

Aos poucos isso mudou e, hoje, trata-se de um estilo de vida. Pessoas que se definem como vegetarianas ou veganas não consomem nada que envolva maus tratos aos animais. E isso inclui roupas, produtos de limpeza e cosméticos.

Como se classificam?

Segundo a Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB), vegetarianos são aqueles que não consomem nenhum tipo de carne de animais, são classificados em:

  • Ovolactovegetarianos: quem consome ovos, laticínios, leites e derivados;
  • Ovovegetarianos: aqueles que consomem ovos na dieta;
  • Lactovegetarianos: são pessoas que incluem leite e laticínios em sua alimentação;
  • Estritos: pessoas que não consomem nenhum alimento de origem animal;
  • Crudívoros: vegetarianos que optam pela alimentação crua ou preparada a até 50ºC;
  • Frugívoros: vegetarianos que consomem apenas frutas como parte de sua dieta.

Para facilitar mais, entenda a diferença entre os termos principais:

Vegetarianos x Veganos

Então, qual seria a diferença entre vegetarianos e veganos? Anteriormente, os veganos eram aqueles que não consumiam nada de origem animal (não somente alimentos), enquanto os vegetarianos focavam apenas na alimentação.

Isso mudou e ambos agora são estilos de vida. Uma pessoa pode se definir crudívora, por exemplo, e, ao mesmo tempo, só consumir cosméticos cruelty free e veganos.

Diferença entre cruelty free e vegano

Os termos cruelty free e vegano têm diferença. Você pode encontrar os selos em cosméticos, produtos de limpeza e diversos itens do seu dia a dia. Para quem segue o estilo de vida vegetariano, o selo cruelty free já o incentiva a fazer a compra. 

Agora, no veganismo é importante que tudo esteja livre de origem animal. Ou seja, cruelty free é um selo representado, em alguns casos, por um coelho e as palavras cruelty free, o que indica que a marca não faz teste em animais.

Já no caso do vegano, é um selo, normalmente escrito “100% vegan” ou “vegan”, ou seja, que indica que os produtos da marca não possuem nada de origem animal.

Alimentação não é restrita

Na questão da alimentação vegana e vegetariana, há quem imagine que a dieta é composta apenas por folhas e frutas. No entanto, está enganado, pois o cardápio é bastante variado.

São parte da alimentação dessas pessoas: os cereais, as leguminosas, os legumes, os doces e os açúcares. Além, é claro, das verduras e das frutas. 

A maior parte prefere cozinhar em casa e testar diferentes receitas, mas há quem busque pelos restaurantes que incluem o cardápio veg.

Cuidados do vegetarianismo e veganismo

Quem segue o estilo de vida (vegano ou vegetariano) tem alguns cuidados em sua rotina. Além de ler os rótulos e escolher com cuidado os alimentos (muitos dão prioridade aos orgânicos), também planejam suas compras e buscam saber mais sobre as empresas.

Priorizar a produção local e os pequenos empreendedores também tem sido adotado como um cuidado, exatamente pelo contato mais próximo com o produtor.

Oportunidade de mercado

Não apenas no ramo alimentício, mas em diversos outros, como o veganismo e o vegetarianismo são estilos de vida, existem várias oportunidades de mercado para as empresas.

Segundo uma pesquisa feita em 2018, encomendada pela Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) ao IBOPE, 14% da população brasileira se declara vegetariana. Sem contar que mais de 40% já deixaram de comer carne ao menos uma vez na semana, por vontade própria e não obrigação.

Ou seja, há um público interessado em mudar seus hábitos alimentares e prestar mais atenção nos produtos consumidos. Portanto, marcas que decidem retirar os testes em animais já estão um passo à frente, assim como as que optam por serem veganas.

Dispostos a pagar mais

Os consumidores veganos e vegetarianos estão dispostos a pagar mais. O motivo é por verem suas escolhas além de uma dieta, mas uma ética sobre uma forma de viver.

Com a condição de que a marca seja realmente cruelty free e vegana, estas pessoas estão prontas para consumir seus produtos e divulgá-los.

Texto: Gustavo Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *