Zumbido no ouvido: o que pode ser?

Zumbido no ouvido

Já imaginou passar o dia todo escutando barulhos? Agora imagine que esse barulho vem de dentro de você! 

 

Sim, muitas pessoas sofrem com o zumbido no ouvido e parece que o pior momento é a noite, mas isso acontece por causa do silêncio. 

 

Durante o dia temos os sons de vizinhos, músicas, falação e muitos outros, mas durante a noite a poluição sonora diminui e é nesse momento que percebemos o zumbido.

 

Com este texto queremos mostrar as principais causas do zumbido no ouvido, então continue a leitura para saber mais. 

 

Como identificar o zumbido no ouvido

 

Segundo o órgão de saúde americano, 15% dos adultos já tiveram algum tipo de zumbido. 

 

O zumbido no ouvido é um sintoma de que algo não está normal. De acordo com outras pesquisas, um a cada 5 pessoas sofrem de zumbido crônico.  

 

Porém, não tem como identificá-lo ou mensurá-lo, apenas com relatos do paciente para saber se há essa percepção auditiva. 

 

O barulho vindo do ouvido pode ser parecido com um chiado, apito ou até mesmo uma pulsação, como se fosse um coração batendo. Os sons podem vir acompanhados, com sensações de areia, cliques e estalos. 

 

Causas do zumbido no ouvido 

 

As causas de zumbidos no ouvido podem ser diversas, desde problemas simples como cerume nos ouvidos como também sinal de alterações metabólicas como diabetes, deficiência de vitamina D ou disfunção na tireoide. 

 

Outras doenças relacionadas com o zumbido no ouvido:

 

  • Esclerose múltipla;
  • Bruxismo de vigília;
  • Obesidade;
  • Pressão alta;
  • Artrite reumatoide;
  • Lúpus;
  • AVC.

 

Leia também: Covid e zumbido, entenda a relação

 

DTM e os zumbidos no ouvido

 

Abusos de substâncias como cafeína, chocolates e refrigerantes, além de ansiedade, estresse, mudanças de hábitos e alterações no sono, também podem aumentar os ruídos.

 

Até porque o estresse e a ansiedade podem desenvolver a disfunção da ATM (DTM) – ATM é um músculo na região da face responsável pelo abrir e fechar da boca – e quando ficamos estressados, contraímos esse músculo de forma involuntária, sem ao menos perceber. 

 

Estudos apontam a relação da DTM com o zumbidos. O apertamento constante dos dentes faz com que o zumbido no ouvido apareça, além de causar tensões e dores no pescoço, o desconforto pode se espalhar para as demais áreas como a nuca e as costas. 

 

O tensionamento constante pode causar o bruxismo de vigília, que é o apertar dos dentes durante o dia. Por isso, é necessário ficar atento às dores na região da face, cabeça e aos zumbidos, para que não evolua para outros tipos de doenças.

 

Como tratar o zumbido no ouvido

 

Primeiro precisamos lembrar que o zumbido no ouvido é um sintoma, por isso é preciso encontrar sua causa para depois entrar com o tratamento. 

 

Para identificá-lo é importante procurar um profissional otorrinolaringologista, se descartado desordens nessa área, é possível realizar terapias de reversão de hábitos – caso o bruxismo seja apontado como causador do zumbido. 

 

Para cada tipo de bruxismo (diurno e noturno) há um tratamento diferente. No bruxismo noturno, usa-se placas estabilizadoras durante o sono. 

 

No Bruxismo de vigília o tratamento da LIVA tem sido apontado como um dos melhores métodos para aliviar o tensionamento dos dentes. 

 

Aliviando a tensão dos músculos, utilizando o DIVA®, um dispositivo criado pelo Dr. Alain após 16 anos de estudo, o resultado tem sido de 40% na redução dos zumbidos nos ouvidos, relacionados a DTM. 

 

Leia também: Dores de cabeça e Bruxismo de Vigília

 

Conclusão sobre os zumbidos no ouvido

 

Portanto, se você está incomodado com o zumbido no ouvido, que pode ser um barulho de chiado, ou até mesmo sensação de areia dentro do seu ouvido, procure um profissional em dor orofacial para que ele possa chegar em um diagnóstico e ajudá-lo a tratar o problema.

 

Caso você queira conversar com um profissional em dor orofacial, entre em contato com o Tratamento LIVA!

“Texto Escrito por Renata Heining, Redatora da agência Lamattina Marketing Digital”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *